domingo, 5 de fevereiro de 2017

URGENTE: COLETÂNEA PUNK PRECISA DE MÚSICAS DO BRASIL PARA PAGAR TRATAMENTO VOCAL DE MÚSICO CRISTÃO.


A Thumper Punk Records, de Santa Cruz, Califórnia está recrutando bandas do mundo todo com o prazo final até o dia 08/02/2017 (quarta-feira) para arrecadar fundos para o tratamento vocal de Shawn Browning. Para quem não o conhece, ele é vocal da banda Grave Robber, uma banda que tem uma sonoridade parecida com o Misfits. A proposta da Thumper Punk é o punk rock cristão e o Hardcore e todo ano faz uma coletânea para arrecadar fundos em prol de alguma causa beneficente e também é o irmão mais velho do Cristo Suburbano nos E.U.A. 

Traduzo aqui no Blog a matéria em inglês que foi postado no site deles:

ABERTO CONVITE PARA ARRECADAÇÃO DE FUNDOS

" Essa é uma mensagem de nosso irmão Shawn Browning (dono de Rottweiler Records e vocalista da banda Grave Robber). Shawn só pediu orações, mas também vamos fazer um levantamento de fundos para ajudar com contas médicas. Fale com os membros da sua banda. Compartilhe isso com todos que você conhece. Qualquer pessoa que oferecer ajuda será bem-vinda, independentemente do gênero musical. Nós vamos colocar isso em uma semana, e lançá-lo no Bandcamp no próximo fim de semana. As inscrições de músicas devem ser entregues na quarta-feira, 8 de fevereiro. Se estiver interessado, por favor envie um e-mail para detalhes para "TPRbenefitcomp@gmail.com". Envie seu arquivo WAV (ou um e-mail com um link de download). Muitos dos selos já se comprometeram em apoiar".

Mensagem do Shawn Browning

Ontem às 14:37 ·

"Bem. . . Um dos meus maiores pesadelos se tornou realidade.

Eu fui diagnosticado hoje com nódulos em minhas cordas vocais. Eu tenho lutado contra a  rouquidão por cerca de 6 meses. Cheguei a pensar que fossem alergias, doença, estresse, falta de sono.

Não. Nódulos. 

Dizer que estou com medo é um eufemismo. Cantar tem sido minha vida enquanto eu me lembro. Eu honestamente não sei o que eu faria se eu permanentemente perdesse a capacidade de cantar.

Sexta-feira eu vou ter uma consulta e determinar uma data de cirurgia em meus acordes vocais.

Se você é o tipo de oração. . . Agora seria um bom momento para fazer isso por mim.

Obrigado".


Entendendo que nós somos cristãos e de oração, peço que se você tem uma banda, envie um material bem gravado para o email em destaque acima, no arquivo WAV. E vamos ajudar. Abaixo, postarei os links da Thumper Punk Records para que vocês conheçam mais desse trabalho de música cristã.









terça-feira, 24 de janeiro de 2017

CRISTO SUBURBANO COLETÂNEA VOLUME 3 - DOWNLOAD


Mais de 50 bandas. Me lembro quando me propus a realizar esse trabalho diante de Deus, que surgiu apenas com um documentário, eu não imaginava o quanto isso cresceria. O primeiro volume foram mais de 20 bandas, o segundo mais de 40 e agora - mais de 50 e dessa vez, com bandas fora do Brasil também. E a cada ano, tenho descoberto mais bandas com o som JCHC (Jesus Cristo HardCore). E que venham outros volumes para a Glória de Deus. Soli Deo Gloria.  

Apresentando:

Anti-World System, Tessalônica, Mark Main, Dior Elias, Introdos, Onix8, Grave Robber, Novaprole, Dreds, Mr. Mustache, Blast From Oblivion, Radioativos, CPR, Living Fire, The Remnants, Sons of Rachel, Santa Cruz, Small Fish, Sons of Zombie, Pátria Celeste, Grano, Crush, FMI, Operação Resgate, Súplica HC, Operação Resgate, Plano 6, Ressurreição, Harmoni, Anschluss Amor, Empire HC, Audiopraise, Confronto Interior, HxBx12, Experimento Holy Factor, Fora da Placa, Nascidos da Morte, Archote, Cause of Rebellion, Soldados de Deus, Terceiro Dia, Right Vision, Rodes, Undergust, No More Zombies, Discípulos, Missão 33, Ks5, Alpha Seven Four, Andrews, Intercorrência Oi, Dsarme?, Procedentes 144, Obede Edom, Aceia, A.M.E. Messias e Aikós. 

Para fazer o download, basta clicar nos links abaixo, lembrando que o bandcamp, além de você poder ouvir por streamming, ele tem apenas o limite de 200 downloads por mês. Por esse motivo, estará upado também no mediafire e 4shared. Divulgue, compartilhe. 









terça-feira, 8 de novembro de 2016

RESENHA DE LIVRO: A DOUTRINA DA ELEIÇÃO - JOÃO CALVINO


Excelente pensamento teológico de João Calvino, esse homem de Deus não aceitava a ideia do nome teologia calvinista, preferiu teologia reformada. Em sua morte, não quis o seu nome numa lápide para que ninguém idolatrasse seu corpo, pois desejou toda glória a Deus. 

O que me agregou nesse livro é que Deus não esperou nenhuma boa obra do homem para que Ele pudesse escolher. Afirmar que o homem escolhe Deus é afirmar que existem méritos na conversão, logo, sabendo que Nele não existem méritos, o homem faz a Bíblia mentirosa em afirmar seus méritos de escolha. Quando se afirma que Deus escolheu Jacó e não Esaú, diz-se que Deus previu. Ora, conforme o autor, isso é especulativo, pois as Escrituras afirmam que Deus escolheu. Se a autoridade do Ap. Paulo fosse abolida em afirmar que Ele nos elegeu antes da fundação do mundo, logo, a Bíblia toda teria que ser abolida também. 

Esse livro me mostrou que se Jesus fosse tirado de nós, logo Deus seria juiz. Mostra que é certo que Deus nos ama em entregar o Cristo. E uma vez salvo, salvo para sempre, todavia, salvo para a santidade, pois a atitude de um salvo é se santificar, essa que só provém também do próprio Deus.

Cito um parágrafo das págs. 7 e 8:

"Não devemos falar precipitadamente da Eleição de Deus, e dizer, que somos predestinados; mas se vamos estar seguros da nossa salvação, não devemos falar levianamente dela; se Deus nos tomou por seus filhos ou não. Que faremos então? Olhemos para o que está estabelecido no Evangelho. Ali Deus nos mostra que Ele é nosso Pai; e que Ele vai nos levar para a herança da vida, depois de ternos selado com o selo do Espirito Santo em nossos corações, que é um testemunho incontestável de nossa salvação, se nós a recebermos pela fé".

Entendi que o Evangelho é pregado a pessoas que já são reprovadas, mas quando recebemos a Doutrina de Deus, com obediência e fé, descansamos em suas promessas, ficamos certos da Sua eleição. 

Outros podem afirmar que a salvação é pela fé, mas quem é que nos dá essa fé senão o próprio Deus?

 E os gentios, ouvindo isto, alegraram-se, e glorificavam a palavra do Senhor; e creram todos quantos estavam ordenados para a vida eterna. 

Atos 13:48


Cito um parágrafo da página 10:

"Portanto, a eleição de Deus está muito longe de ser contra isso, pois confirma o testemunho que temos no Evangelho. Não devemos duvidar, que Deus tem registrado os nossos nomes, antes que o mundo fosse feito, entre os Seus filhos escolhidos, porém o conhecimento certo disso Ele reservou para Si mesmo". 

Aprendi que é Deus que nos atribui a fé para que creiamos no Evangelho. 

Os antigos, antes de Jesus, pela fé atribuída por Deus suportaram o mal do mundo e nós, como cristãos que recebemos a revelação do Pai sobre Jesus, temos que ser tão firmes quanto eles. Isso só me ensinou que temos que ser constante na fé. 

Recomendo a leitura, mesmo que você tenha uma posição diferente. 


Deus abençoe. 

sábado, 5 de novembro de 2016

RESENHA DE LIVRO: A REVOLUÇÃO DOS BICHOS - GEORGE OWELL


Livro do libertário George Orwell, venho primeiramente ressaltar que não partilho de ideias libertárias ou de esquerda num geral, entretanto como leitor assíduo que sou, venho fazer a resenha dessa obra.

A história começa com os bichos se reunindo na fazenda do Sr. Jones e o líder deles, o porco Major, assim como era chamado, começa a discursar com os animais da fazenda sobre a exploração do homem e de como o homem é um inimigo. Lembro que ele utiliza o termo "camarada" para se referir aos bichos. Ele critica o duro trabalho que o homem impõe sobre os animais, alega que ele é o único que consome sem produzir, pois não dá leite, não põe ovos, não tem força para puxar um arado... É um explorador. O porco também discursa que o homem é um tirano e que não ninguém prospera por conta da tirania dele. O homem e o bicho tem interesses diferentes e não comuns, alega o porco. E após tanto burburinho, Sr. Jones acorda e os bichos voltam ao normal.

 Com a morte de Major, os bichos tramam a revolução deles com o nome ideológico de Animalismo, expunham as ideias deles, de que todo animal era igual. Interessante que nessa fazenda chamada Granja Solar, havia até o corvo Moisés que representava a religião que falava de um lugar maravilhoso para onde os animais iriam quando morresse, a misteriosa "Montanha de Açúcar". Dentro do Animalismo, tinham fiéis como os cavalos Sansão e Quitéria. 

A liderança dos bichos estava com os porcos Bola de Neve e Napoleão, que tramavam a rebelião e expulsaram o Sr. Jones da granja. Eles tinham até um hino chamado "Bichos da Inglaterra". 

Fizeram 7 mandamentos como:

1 - Qualquer coisa que ande sobre duas pernas é inimigo
2 - Qualquer coisa que ande sobre quatro pernas, ou tenha asa, é amigo
3 - Nenhum animal usará roupas.
4 - Nenhum animal dormirá em cama. 
5 - Nenhum animal beberá álcool
6 - Nenhum animal matará outro animal.
7 - Todos os animais são iguais. 

Com a vitória dessa revolução, os debates entre Bola de Neve e Napoleão se acirravam sobre o que era melhor para a granja. 

A desigualdade começou agora:

Os porcos tinham os melhores privilégios pois eles eram os mais capazes intelectuais e precisavam das melhores coisas. E os demais bichos, sem entender, acabavam meio que entendendo. 

O Sr. Jones volta para reclamar sua granja e os animais tornam a expulsá-lo de novo. Vitória dos bichos. Tem-se o novo nome do evento: A Batalha do Estábulo onde o porco Bola de Neve lutou bravamente. 

A nova desigualdade começa:

Os animais começam a trabalhar sobre ordem dos porcos mais uma vez, pois os porcos eram os mais intelectuais...

Bola de Neve é sabotado e derrubado por Napoleão. Bola de Neve foge porque Napoleão atentou contra a vida dele botando cães atrás dele. 

Napoleão começa a explorar os animais e aos poucos, a ração foi sendo reduzida. Tudo em prol de construir um moinho. Tudo que dava de errado, a culpa era de Bola de Neve que nunca mais apareceu na história. Bichos são condenados a morte pelo porco Napoleão por estarem sendo acusados de conspiração com Bola de Neve. Os porcos começam a ter o melhor e os animais da fazendo o pior. Havia um porco chamado Garganta que seduzia os demais animais para que eles ouvissem mais e mais o líder Napoleão. Os porcos começam a dormir em camas e os animais ao relento. 

Os porcos deixavam o corvo Moisés pregar para os bichos, pois isso aliviava eles, lembrando que eles achavam o corvo um baita mentiroso e nem sequer acreditavam nele, mas não se opunham, pois queria os bichos sobre dominio deles. 
Os bichos eram todos iguais, mas uns eram mais iguais que os outros. Esse era o lema dos porcos. 

Os bichos trabalhavam feitos escravos, até mais que no tempo do Sr. Jones, com o propósito de que a granja era deles. Os porcos engordavam mais de alimento e os bichos tinham sua ração reduzida. Os porcos começaram a oprimir os bichos e já estavam usando roupas humanas. Já estavam ficando bêbados com bebidas alcoólicas. Tudo que dava de errado, a culpa era de Bola de Neve. Foi proibido o hino da revolução, sempre com olhares do líder, dos porcos e dos seus cães bravios. Os animais que não tinham mais validade, eram enviados para o matadouro, caso do fiel cavalo Sansão. 

Os porcos começaram a ficar de pé e a negociar com os humanos. E os dois já estavam cada vez mais parecidos sem distinção e com isso, os animais da granja foram cada vez mais oprimidos. Notou que todos os mandamentos foram quebrados?

Opinião minha?

Vejamos na Rússia comunista a fila para comprar pão. Fome no país. Vejamos a falta de papel higiênico na Venezuela.  Nesses locais houveram fome e desigualdade. E qualquer coisa que desse errado, a culpa era de algum fantasma que nem sequer existia mais, como era o caso de culparem direto o porco Bola de Neve. Eu nunca vi um membro do MST ter moradia em anos de governo petista. 

O comunismo é para apaixonados, mas como já é sabido e repetido, toda paixão é insana e sem razão e tem gente que ainda insiste em repetir a história. Como já disse o pregador, não há nada de novo debaixo do céu. O comunismo vem sempre com o pretexto de acabar com a pobreza, mas são seus líderes porcos que mais prosperam e pilham para si o produto do povo, oprimindo-o cada vez mais. Jesus, Deus que se encarnou na Terra, já havia dito que os pobres sempre teremos conosco, logo, não existe sistema que extinga a pobreza. Ainda há crentes que se envolvem com tal ideologia pela inocência de que estão fazendo justiça ao necessitado, coisa que eles poderiam fazer por eles mesmos sem precisar se aliar a ideias que agridem a crença deles.  

Ao mais, é um excelente livro para quem quer ter noção mínima política. Recomendo. 


domingo, 2 de outubro de 2016

Esconde Cast 003 - TESTEMUNHO, UNDERGROUND & MPB


Para a Glória de Deus SEMPRE (Soli Deo Gloria), o Cristo Suburbano começou mais uma inciativa que é um podcast, todavia como tudo tem uma origem, serão postados aos poucos no site do spreaker todos os podcasts que Eduardo A. Teixeira (idealizador do Cristo Suburbano e Projeto Cristorama) participou e inicialmente serão postados tanto para download como streamming os programas do ESCONDERIJO UNDERGROUND do Grande Luis Vulcanis. 

É só clicar nos links abaixo.

Primeira participação minha num podcast junto do grande Luis Augustus Vulcanis, líder da banda Holy Factor e do Esconderijo Underground. Nesse podcast foi falado o meu testemunho, conversamos sobre o underground e a MPB. 

Se liguem, compartilhem, comentem!!!! A sua opinião é muito válida!!!!

ERRATA:

Já fui defensor da Missão Integral, mas devido ao rumo que ela tomou, já não compartilho totalmente das mesmas ideias.







sábado, 1 de outubro de 2016

RESENHA DE LIVRO: "EM GUARDA" - WILLIAM LANE CRAIG


Fiquei curioso em ler um livro de apologética de um dos maiores apologetas de nossa época - William Lane Craig - que foi indicação de Lucas, baixo e vocal da banda JCHC Archote. Fiquei curioso, pois me alegaram que esse homem trouxe Deus de volta para a Universidade, local cada vez mais ateísta ou de influência de esquerda. Já o prefácio do livro começou arrebentando sobre o discurso de Craig - A criação do Universo aponta para um Criador; Ele possuí um design inteligente; Valores Morais objetivos; Evidências históricas em favor da ressurreição (túmulo vazio, testemunha ocular, morrer pela fé - meu acréscimo) que prova a divindade de Jesus; Deus pode ser conhecido e experienciado de forma imediata. Sobre a existência do mal, não podemos afirmar que o mal existe sem afirmar a moralidade dada pelo Criador. O que impressiona é que todo aquele que crê e pratica as Palavras do Rei tem a verdade do seu lado. 
O foco do livro é nos ensinar a explicar a razão de nossa fé com mansidão e amor (1 Pe 3:15), não esperando que alguém se converta com isso, pois é trabalho do Espirito Santo, mas fazermos de nós pessoas que não temem argumentar com ateus ou agnósticos. 

Menção sobre Apologética:
"A palavra apologética vem do grego apologia, que significa uma defesa, como a que se faz nos tribunais. A apologética cristã envolve fazer a defesa da verdade da fé". A apologética é bíblica, pois o apóstolo Paulo a defendia diante de judeus e gregos. Ela é importante porque "influencia a cultura (combate o secularismo que é uma cosmovisão que não abre espaço para o sobrenatural); fortalece os que creem (os ajudam a combater o relativismo) dando força aos pais para ajudar na criação dos filhos, a estarem sempre prontos para dar força à eles; ganhar os incrédulos - e o maior deles se tornou o maior evangelista - C.S. Lewis".

 A ideia é mostrar também o quanto crer em Deus é relevante para as nossas vidas hoje. O livro fala de Sentido, Valor e Propósito e caso Deus não exista, então isso não deve existir. E se Deus não existe e tudo não passa de um nada, então, não se deve deixar marca alguma nesse mundo, que conforme cientistas também orientam, vai deixar de existir. Se a vida acaba num túmulo, não faz o menor sentido viver como um Stalin ou uma Madre Teresa, pois os dois estão no mesmo patamar. Sem imortalidade, não há o que se importar com valor moral. 

Dentro das premissas que aprendi em lógica jurídica na faculdade, para a construção de um argumento, observo no livro:

1 - Tudo que existe tem uma explicação para existir.
2 - Se o universo tem uma explicação para existir essa explicação é Deus.
3 - O universo existe.

Se eu afirmo que o universo existe como conclusão de duas premissas, logo afirmo a existência de Deus como verdadeira. .

O universo não pode se criar, pois eu tenho que alegar que existe um universo maior. Mas e Deus? Quem criou Ele? Se Ele é eterno, no eterno não se cria. Se auto-existe em si, senão, caso contrário, terei que falar que um Deus maior criou Deus. 

Até os filósofos gregos, aos quais contribuíram para muitas ciências conhecidas hoje, criam que existia propósito na existência. Sem propósito e sem esperança, como já diria Sartre, só nos resta o desespero. 

Como ateus afirmam que o universo surgiu do nada, logo eu penso que tem que ter uma fé muito maior do que acreditar em Deus. Porque tudo tem um início, tem um meio e tem um fim. Até cientistas sabem que esse mundo terá um fim.

Al-Ghazali, teólogo muçulmano do século XII, pontua nas premissas abaixo:

1 - Tudo que começa começa a existir.
2 - O universo começou a existir.
3 - Logo, o universo tem uma causa.

Entendo que tudo o que começa, não começa a existir do algo. Alguém sempre dará um start, um início, por isso, que na minha opinião, afirmo:

"No princípio criou Deus o céu e a terra".

Gênesis 1:1

A Bíblia pode não ter uma linguagem científica, como alguns querem que ela tenha, pois ela utiliza a linguagem do autor que a escreveu na época, nesse caso, a autoria do Gênesis atribuída a Moisés, mas com uma lógica sem igual - tudo surgiu de algo. Defender que o universo foi criado do nada é uma falácia porque o nada é aquilo que a própria palavra diz - "nada". Um nada não cria. Um nada não existe.

Tudo tem uma causa para existir e com certeza, até com base na teoria do "Big-Bang", alguém acendeu essa bomba - e esse alguém é Deus. E o tempo começou a existir quando Deus criou o mundo e o universo, logo não existe tudo existir num infinito. Tudo começa, tudo tem meio e tudo tem um final. O universo não causou a si mesmo. Para o universo criar a si mesmo, ele teria que existir antes.

Aprendo que se Deus não existe, não deve existir uma moralidade como parâmetro. Tudo é relativo.

Deixo essas premissas e conclusão:

1 - Se Deus não existe, também não existem valores morais objetivos nem deveres.
2 - Valores morais objetivos e obrigações existem.
3 - Logo, Deus existe.

O relativismo acha errado uma pessoa crer em verdade absoluta. Na minha opinião, até quem crê em verdade relativa, acaba absolutizando-a. O bom e o mau estão ligados a valores e o certo e errado estão ligados ao fato de ser obrigatório.
Os valores morais objetivos exigem a existência de Deus porque se formos colocados no mesmo nicho que animais, logo seremos seletivos e isso é uma grande contradição. Os deveres morais objetivos exigem a existência de Deus.

Uma falha do argumento ateísta é trazer uma negativa universal, logo, por ser negativo, não se pode provar nada. Alias, a pergunta é ao invés de querer provar que Deus não existe, procure uma prova de que Ele exista.

No tocante ao sofrimento, os pensamentos de Deus estão acima dos nossos, logo entendo que o sofrimento nos aproxima Dele. O principal propósito da vida não é a felicidade, mas sim o conhecimento de Deus. O sofrimento humano inocente nos proporciona uma ocasião para sermos mais dependentes de Deus. É no sofrimento que a Igreja de Cristo se expande. O propósito de Deus não está restrito a esta vida, mas transborda para o além do túmulo, alcançando a vida eterna. 

Aprendi nesse livro é que nós não devemos nos calar diante de bobagens proferidas por "papagaios". Até os historiadores mais críticos admitem a ressurreição de Jesus. E quem nega a existência de Deus, que tenha o ônus da prova, pois é isso que deve ser feito. Os Evangelistas tem confiabilidade histórica. Vemos que Deus é tão real que até os fatos ruins com os heróis da fé não deixaram de passar em branco. Questione-se: a história é contada pelo lado vencedor, logo, é feito a melhor história sobre tal assunto.

A divindade de Jesus foi reconhecida por judeus, sendo esses verdadeiros monoteístas, até mesmo o mais ignorante deles. Alguns tentam dizer que o Jesus ressurreto era só uma visão, ao qual é impossível diversas pessoas terem a mesma visão, mas todas as testemunhas viram o Cristo encarnado, inclusive mulheres, essas que não eram contabilizadas na sociedade patriarcal.

As vezes, por sermos particularistas, ou seja, cremos em uma só verdade, o pluralismo se torna agressivo, pois segue aquela ideia de diversos caminhos da montanha para se levar até Deus e o cristão é particularista. Muitos até debocham da fé por conta da questão cultural de cada país, pois cada país teria a sua religião. Entretanto, sabemos que em Romanos, Deus também disse que julgaria o homem que se achegaria a Ele através da Natureza, ou seja, se um índio reconhecesse que não haveria diversos deuses, mas que um "Grande Espirito" tivesse feito tudo aquilo. Logo, por essa verdade bíblica não existe o mito do índio inocente.
Se o pluralista crê que o particularista é arrogante por achar que só ele é correto, logo não seria ele arrogante também em crer que ele é o certo?

Deus não julga as pessoas que nunca ouviram falar de Cristo com base no fato de elas terem ou não depositado sua fé em Cristo. Ele as julga com base na luz da sua revelação geral na natureza e na consciência que elas de fato possuem. Exemplo: Jó e Melquisedeque que nunca fizeram parte da aliança com Abraão, mas creram num único Deus.  Observações minhas: Aristóteles e Sócrates numa sociedade politeísta grega creram num único Deus.

E tem mais, Deus nunca seria injusto, pois Ele sabe quem creria em Jesus ou não mesmo que essa pessoa ouvisse falar do Filho Dele. Logo, Ele fará o julgamento com base na revelação geral da natureza e na consciência do indivíduo.

E com isso, encerro a resenha desse livro. Espero que possa abençoar cada leitor e até despertar em vocês o interesse de conhecer o livro.